quinta-feira, 9 de abril de 2009

Sonhos e Conquistas 4 - Salvador Arena


Salvador Arena


Natural de Trípoli, Líbia
Filho de Nicola Arena e Giuditta Patessio Arena
Nascido em 12 de janeiro de 1915
Falecido em 28 de janeiro de 1998

Infância e Adolescência


Nascido em 12 de janeiro de 1915, em Trípoli, na Líbia – então colônia italiana, Salvador Arena chegou ao Brasil em 1920.

Salvador Arena e seus pais instalaram-se na Vila Prudente, bairro da zona leste de São Paulo predominantemente ocupado por imigrantes italianos.
Passou a maior parte da infância na oficina do Pai. Morava em uma espécie de chácara, onde manipulava peças e máquinas, acompanhando o Sr. Nicola, seu pai, que processava sucata de metais em uma oficina mecânica de sua propriedade.

Iniciação profissional

Iniciou suas atividades profissionais aos oito anos. Fabricava velas para vender nas procissões, defendendo sua mesada e contribuindo com o rendimento familiar.
A família não chegou a passar necessidade, mas tinha uma vida modesta.

Espírito Empreendedor


Em 1936, aos 21 anos, formou-se Engenheiro Civil pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Em 1937, iniciou suas atividades profissionais na Light, seu primeiro emprego formal, onde trabalhou na implantação do sistema hidrelétrico de Cubatão, um modelo planejado por Billings. Naquele tempo, as máquinas eram todas importadas. Quando quebrava uma peça, não havia outro jeito senão fabricar outra. Por um longo período, Salvador Arena atuou como aquele que desenhava as peças, projetava seus detalhes e mandava fundi-las. O resultado, muitas vezes, era melhor que o original.


A Termomecanica

Em 1942, com um capital de U$ 200, 00, fundou a Termomecanica São Paulo S.A. Naquela época, a empresa era voltada para a produção de fornos e equipamentos para padaria. Mais tarde, começou a fabricar fornos de revestimento, ventiladores, trefilas, fornos de fundição, prensas, etc.

Já em meados da década de 50, iniciou a construção da nova fábrica, no bairro Rudge Ramos, em São Bernardo do Campo, com produção diversificada de metais não-ferrosos.

Gestão Inovadora

Empreendedor arrojado, criou um modelo de gestão próprio, inovador e avançado para a década de 60, que prezava, acima de tudo, seu “valioso capital humano”. Conhecia os funcionários pelo nome e sobrenome, bem como seus familiares, para os quais estendeu benefícios como: cestas básicas com até 60 quilos de alimentos, atendimento médico e odontológico.
A política salarial diferenciada, uma marca da Termomecânica, foi sua criação.
Tudo começou em 1948, após um grande esforço bem-sucedido de produção para atender um grande cliente, Salvador Arena concedeu, espontaneamente, o primeiro prêmio por produtividade. Não havia legislação a respeito de participação nos lucros e remuneração por produtividade, porém a prática incorporou-se à rotina da fábrica e, sempre que havia um trabalho especial, havia um prêmio.


Mesmo antes de ser criado o 13º salário, Salvador Arena pagava um adicional no fim do ano. Com o tempo, dependendo do desempenho anual calculado por ele mesmo, Salvador Arena distribuía a participação nos lucros, que chegava a 14, 15 e às vezes 17, 18 salários no ano. Em um determinado ano, foram pagos excepcionalmente 25 salários.
Concretizou a idéia de proteger os funcionários das altas taxas de juros do mercado e criou uma cooperativa de crédito, com juros subsidiados, como alternativa de financiamento pessoal.

Sabendo que muitos funcionários saiam na hora do almoço para beber um pouco no boteco próximo, mandou instalar garrafões de pinga no refeitório da empresa. Resultado: o índice de alcoolismo diminuiu, e a produção aumentou, contrariando
as previsões de muitos de seus colegas empresários.

Antes de falecer, em 1998, Salvador Arena havia colocado a Termomecânica em posição de destaque no setor industrial brasileiro, tendo sido classificada entre as maiores indústrias privadas do país, líder no setor de transformação de metais não-ferrosos em produtos semi-elaborados /produtos acabados e altamente capitalizada, com um patrimônio líquido avaliado em mais de 400 milhões de dólares.
Hoje, a empresa conta com duas unidades nos bairros Rudge Ramos e Jardim do Mar, ocupando 127 mil metros quadrados de área construída e mantendo mais de 2.000 postos de trabalho no município.


Empresário de Sucesso


O empreendedorismo de Salvador Arena conferiu-lhe vários prêmios e reconhecimentos de importância nacional:

REVISTA EXAME: Empresa do Ano (1978 e 1980); Melhor Desempenho Global dos Últimos 10 Anos – Melhor dos Melhores (1983); Melhor Liquidez no Setor Metalúrgico (1988); Melhor dos Melhores no Setor de Siderurgia e Metalurgia (1996).
REVISTA CONJUNTURA ECONÔMICA DA FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS: Prêmio FGV de Excelência Empresarial (1992, 1993 e 1994).

O Empreendedor Social


O maior sonho de Salvador Arena sempre foi criar uma escola modelo. A vontade era tanta, que, no início da década de 60, chegou a montar um colégio dentro da fábrica. Comprou 150 cadeiras e mesas, que foram colocadas num pavilhão pertencente à fábrica. Contratou professores de português, matemática e ciências. Os funcionários encerravam o expediente às cinco da tarde e iam para as aulas. Alguns anos depois, essa escola sairia dos muros da sua fábrica e passaria a atender a comunidade de São Bernardo do Campo e das cidades vizinhas no Colégio Termomecanica.
O sucesso da sua empresa e a prosperidade nos negócios não eram os únicos focos da existência de Salvador Arena. Dono de uma personalidade crítica, encontrava disposição para empreender ações humanitárias, fazendo contribuições generosas para entidades beneficentes, filantrópicas e investindo em projetos sociais por ele idealizados.

A Fundação Salvador Arena


Previu que o tempo seria curto para tantos planos. Pensando nisso, criou a Fundação Salvador Arena, formalmente constituída em 1964, para funcionar como uma espécie de braço social e concentrar esforços para ajudar os carentes.
No testamento, lavrado em 1991, instituiu a Fundação como herdeira universal e única de todo o seu patrimônio.

Deixou prescrições expressas nos estatutos de que a Fundação deve “cooperar e envidar os esforços possíveis para a solução dos problemas de educação e assistência e proteção aos necessitados, sem distinção de nacionalidade, raça, sexo, cor, religião ou opiniões políticas em caráter geral...”. Dessa forma, Salvador Arena passou a promover institucionalmente as ações sociais beneméritas, as quais já praticava de forma pessoal. Nesse sentido, suas principais realizações e legados compreendem as seguintes áreas: Educação, Saúde, Promoção Social e Habitação Popular.

Salvador Arena e Educação


Como dizia Arena, "a Área de Educação é prioritária, onde tudo começa".
Prosseguiu, então, na realização de seu grande sonho: a construção de uma escola-modelo. Assim, em 1989, adquiriu uma gleba com área de mais de cinco alqueires no Bairro Alvarenga, em São Bernardo do Campo, e construiu o Colégio Termomecanica para atender, gratuitamente, crianças e adolescentes da comunidade, com qualidade e excelência de ensino.


Em 2006, esse sonho amadureceu, cresceu e multiplicou-se. Além do Colégio Termomecânica, existem mais duas unidades de ensino, formando um verdadeiro Campus Educacional, que atende, gratuitamente, cerca de 1650 alunos, com investimentos da ordem de R$ 25 milhões anuais, com 100% de recursos próprios. 68% dos alunos são moradores de São Bernardo do Campo, e 75% são procedentes de famílias de baixa renda ou sem renda.

O Colégio Termomecânica, em atividade desde 1990, oferece mais de 1.100 (mil e cem) vagas em seus cursos de altíssimo nível, que vão do Ensino Básico ao Ensino Médio, inteiramente gratuitos à população.


Em outra unidade de ensino, a Fundação mantém mais 180 vagas para crianças carentes do Sítio Bom Jesus, Parque Hawai e adjacências, em sua Escola de Educação Infantil Salvador Arena, em cursos que vão do Maternal ao Pré-Primário.
Em 2006, a Fundação Salvador Arena mantém 550 vagas para a comunidade em cursos de nível superior gratuitos, na FTT - Faculdade de Tecnologia Termomecanica, nas faculdades de Tecnologia em Mecatrônica Industrial, Tecnologia em Industrialização de Alimentos, Tecnologia em Gestão de Processos Produtivos e Tecnologia em Sistemas de Informação.


Salvador Arena e Saúde


Salvador Arena também é uma importante referência na área da saúde no município. Criou o Centro de Diagnose, que funcionou de 1995 a janeiro de 2007, na Av. Caminho do Mar, onde foram realizados mais de 14 mil exames diagnósticos gratuitos todos os anos. Atualmente, a Fundação Salvador Arena realiza atendimento na área da saúde por meio de parcerias com hospitais filantrópicos e beneficentes, localizados na região do ABC e em São Paulo.


Salvador Arena e Promoção Social


Salvador Arena sempre esteve envolvido com as comunidades carentes, fazendo doações importantes para entidades sociais, visando à instalação de salas de aula para creches, melhorias nas dependências de asilos e abrigos infantis e fornecendo alimentação saudável para famílias em situação de pobreza.
Na década de 80, uma vez a cada dois meses, aos sábados, eram distribuídas 2000 cestas básicas com sessenta quilos de alimentos a desempregados. Cada funcionário da Termomecanica era estimulado a participar, indicando um candidato para receber a cesta. Era a versão atualizada do Programa “Adote um Desempregado”, instituída por Salvador Arena em 1983, que o notabilizou no país inteiro.
Em São Bernardo do Campo, mais de uma centena de entidades sociais recebem ou já receberam doações da Fundação criada por Salvador Arena e, anualmente, mais de 60 mil pessoas são atendidas diretamente por meio de seus programas.

Salvador Arena e Habitação Popular


Salvador Arena enchia-se de entusiasmo por idéias inovadoras que contribuíssem para o barateamento dos custos de construção de casas populares e que permitissem o acesso da população carente a uma condição digna de vida.
Sonhava com a possibilidade de resolver o problema de falta de moradia no Brasil
e estudava alternativas para isso.

Teve a idéia de utilizar o barro prensado para construir casas populares. Projetou as máquinas e as prensas. As partes formavam um Kit de uma casa simples, mas completa. Poderia ser montada com facilidade em qualquer lugar do país, a custos muito baixos, acessíveis às famílias mais pobres. No entanto, faleceu antes de ver concluído um de seus projetos pessoais.

Por outro lado, os Conselheiros e Gestores escolhidos em vida por Salvador Arena, por meio da Fundação que leva o seu nome, deram continuidade ao seu sonho e, em 2002, firmaram um convênio com a Prefeitura de São Bernardo do Campo, com a finalidade de realizar um projeto piloto para construir 170 casas populares e urbanizar a Favela Itatiba, localizada ao lado do Cemitério Jardim das Colinas, no Bairro dos Vianas. Essa parceria inédita mantém viva a intenção de Salvador Arena de empreender esforços para auxiliar famílias pobres a conquistar condições dignas de moradia e de vida, beneficiando 800 pessoas diretamente.


Saudades


Salvador Arena morreu na plenitude de seus 83 anos junto aos que mais amava:
seu colégio, seu funcionários, suas máquinas, sua fábrica, sua comunidade.
Homem de convicções pessoais embasadas em teorias sociais, enérgico, austero, paternalista, visionário, obstinado, polêmico, sua mola propulsora era acreditar nas pessoas e em suas potencialidades, na dedicação e no amor ao trabalho. Sempre
lhe sobrou ousadia, talento e suor para pôr em prática suas idéias ao longo de sua existência. E é assim que será sempre lembrado por todos aqueles que tiveram o privilégio de partilharde seu convívio.


Quando um velho amigo o convidou para fazerem juntos uma viagem ao exterior, Arena foi categórico com seu jeito italianado, gesticulando e apontando para as fábricas:
"EU SOU FELIZ AQUI, POR QUE EU VOU SAIR? MEU MUNDO É ISTO AQUI."

Fonte - http://www.fundacaosalvadorarena.org.br/arena.asp


Um comentário:

gracia_educ disse...

Achei emocionante a história de Salvador Arena. Ele realmente tinha uma visão de futuro de tamanho explendor. A sua dedicação com o trabalho, o carinho pelos funcionários, que pelo que li no relato, não eram simples funcionários, mas amigos que o ajudavam levar adiante um sonho que tornou-se realidade e perdura até os dias de hoje, mesmo após a sua morte. Eu conheci o Sr. Salvador Arena, não pessoalmente, mas através das lembranças do meu namorado que trabalhou com ele. E tudo que ele sempre me fala desse senhor, está nessa linda "homenagem". Parabéns!